image A moda do padel image Aquecimento no padel

O padel já não é só uma moda

padel_portugal

Portugal é já o segundo país europeu em praticantes de padel: cerca de 6 mil praticantes. Há já mais de 100 campos em Portugal.

 

Apesar de recente em Portugal, o padel é um desporto que tem atraído cada vez mais praticantes, como se vê pelo crescente número de campos em Portugal – eram 50 campos em 2011, hoje já são 107, dos quais 56 em Lisboa.

A modalidade, que começou a ser praticada em Portugal em 2001, teve nos últimos dois anos uma adesão notável. Estima-se que o número de jogadores em Portugal ascenda a 6 mil, dos quais 5 mil na Grande Lisboa.

Mas afinal o que é isso do padel? É um desporto jogado a pares e semelhante ao ténis – a pontuação é idêntica, o campo é parecido, embora mais pequeno e rodeado de vidro, onde a bola deve bater depois de bater no chão. É, aliás, essa interação dos vidros que recoloca a bola em jogo, dando mais emoção e dinâmica à disputa dos pontos. Duas características interessantes desta modalidade são a possibilidade de utilizar o próprio vidro para devolver a bola para o campo do par adversário e a possibilidade de apanhar a bola fora do campo e devolvê-la aos adversários.

Os vidros são mesmo a maior novidade e desafio nesta modalidade. Um verdadeiro “quebra-cabeças” para quem começa a jogar padel, mas que rapidamente se transforma num divertido desafio, sendo que o efeito da bola, a força, o sítio onde toca no vidro pode mudar completamente a dinâmica do jogo.

Ver os profissionais (Portugal já tem alguns) a jogar esta modalidade e a reagir com uma velocidade incrível a estas variantes do jogo é algo de fascinante. Proporciona espectáculos de destreza e habilidade em ambientes dinâmicos e competitivos, pois jogado a nível profissional envolve uma grande complexidade tática e estratégica. Por outro lado, a modalidade cresce cada vez mais como opção de lazer para amadores, o que se deve ao fato de o Padel ser um desporto fácil e rápido de se aprender e que, inicialmente, não exige uma especial condição física ou técnica rigorosa.

A crescente afluência tem sido justificada com testemunhos de que é um desporto “altamente viciante”: “quanto mais se joga mais se quer jogar”, “é um desporto muito divertido porque a bola não para nunca”, de tal forma contagiante que o efeito “passa palavra” acaba por facilmente levar mais pessoas a experimentar esta modalidade. A percentagem de jogadores que continua a jogar depois de experimentar é muito alta, entre os 80% e os 90%.

De onde vem?

Há duas versões para as origens do padel. Uma vem de uma lenda acerca de passageiros de navios ingleses que tentaram adaptar a prática do ténis ao espaço do navio, criando um “ténis de alto mar”, protegido por telas que os impediam de perder a bola. Uma outra versão é que o padel teve o seu primeiro campo no México, em 1969, quando um milionário mexicano, Enrique Concuera, decidiu construir um campo de ténis na sua casa em Acapulco. Como o terreno era pequeno e muito próximo do mar, Concuera decidiu adaptar o campo ao local, fazendo-o menor e rodeado de paredes de tijolo.

Devido à influência do México, este desporto difundiu-se mais rapidamente nos países sul-americanos de origem espanhola. Na Argentina, o Padel é um desporto muito popular, vindo de lá a esmagadora maioria dos jogadores profissionais do circuito World Padel Tour, incluindo a dupla número 1, Fernando Belasteguin e Juan Martin Diaz.

O padel chegou a Portugal em 2001, a partir de Espanha – onde ganhara expressão nos anos 80, tendo hoje cerca de 2 milhões de praticantes. A partir da organização do Campeonato da Europa de 2008, no Clube de Ténis do Estoril, em que Portugal conseguiu atingir a sua melhor classificação, 3.º lugar, assistiu-se a uma “explosão” de novos campos e praticantes. Hoje, Espanha é o país da Europa com mais jogadores e 3 padel, seguido de Portugal.

 

Source news : dinheirovivo

Related Posts
  • All
  • By Author
  • By Category